skip to Main Content

3° ano – discutindo sustentabilidade durante a pandemia

Nos últimos meses, a humanidade foi pega de surpresa pelo novo coronavírus. Diante dessa realidade tão complexa e desafiadora, com a qual ainda estamos nos adaptando, fomos obrigados a mudar antigos hábitos e repensar a maneira como nos relacionamos com a natureza. E foi com isso em mente que a Cyndel Nunes, auxiliar de classe do 3° ano A da Santi, iniciou em conjunto com os pequenos um projeto de convivência, que busca estimular a interação e a observação da natureza para provocar uma reflexão sobre sustentabilidade e o impacto da ação  humana no meio ambiente. “O contato com a natureza é fundamental para a vida. Acredito que a pandemia foi mais um marco e pudemos perceber, através das notícias recentes, que nossa pequena mudança nos hábitos cotidianos trouxe impactos diretos”, relata Cyndel. “Podemos entender isso como uma forma da Terra tentar falar conosco: se não mudarmos nossos hábitos, nós teremos ainda mais problemas para enfrentar”.

Como foi o projeto?

O projeto orientado pela Cyndel, surgiu diante do desafio de aproximar as crianças da natureza, mesmo em um momento tão peculiar de distanciamento social. A auxiliar de classe conta que o trabalho começou com a proposta “Janelas para o mundo”, propondo para as crianças que utilizassem as janelas de suas casas como uma espécie de portal para o mundo exterior, criando, por meio da observação, uma maior interação com os arredores. Depois, os pequenos realizaram um desenho de observação, tentando identificar e representar os elementos da natureza, os sons, as cores e os formatos, detalhando o cenário que encontraram através de suas janelas. “Esse contato com a natureza, de uma maneira diferente da qual estamos acostumados, ajuda a abraçarmos essas transformações sociais que estamos vivendo neste período tão difícil, dando um outro significado para ele. Nos reconecta com partes que talvez tenhamos esquecido”, aponta Cyndel. Em seguida, as professoras pediram aos alunos que tirassem uma foto de suas criações e postassem no Google Classroom, para que toda a turma pudesse acessar os desenhos. Então, foi iniciada uma aula de compartilhamento, dando espaço para que as crianças pudessem conversar sobre as paisagens e os detalhes da natureza que cada uma pode observar. 

Segundo Cyndel, as crianças se divertiram muito durante o compartilhamento, levaram os computadores até a janela para mostrar suas descobertas, contaram como foi a rotina de observação e como buscaram detalhes juntos com os familiares. “Esse momento individual que se mescla com o coletivo de compartilhamento é bastante importante e foi potente na turma”, conta. “Esse é um estudo interdisciplinar, que pode dialogar com outras áreas de conhecimento nos diversos projetos desenvolvidos na escola, além de ampliar esse olhar sensível com a terra que julgamos necessário ter. A relação de proximidade e entendimento da importância de nos conectarmos de outras formas começa desde a educação infantil”

A próxima etapa do projeto consiste em direcionar a atenção e transformar os olhos em lupas para captar os mínimos detalhes da paisagem. “Estamos seguindo, agora, nosso percurso com esse olhar pra si mesmo, para depois retomar essa conexão misturando elementos do eu e do mundo, que se fundem em um só.”

 

 

 

Por que discutir sustentabilidade com os pequenos?

Pensar formas de vidas sustentáveis é pensar o equilíbrio e a preservação do meio ambiente. Significa repensar formas de estar no mundo e de como viver nele, sabendo que a exploração desenfreada dos recursos naturais e a desvalorização da natureza ocupa cada vez mais espaço na sociedade moderna. Para transformar de vez nossos hábitos, é essencial trabalhar e discutir a sustentabilidade desde a infância, realizando ações, estimulando o debate e promovendo reflexões para formar uma mentalidade mais crítica em relação à exploração da natureza, formando adultos cada vez mais éticos e responsáveis em suas atitudes. 

Aqui na Santi, a sustentabilidade e o contato com a natureza são partes importantes da formação dos nossos alunos, que são convidados a discutirem os temas em sala de aula e realizarem variados projetos sobre o tema, como este, do 3° ano. Cada professor possui liberdade para trabalhar o assunto de diferentes formas, seja em rodas de conversa, em projetos de convivência ou saídas pedagógicas. Além disso, existem diversas ações que estão ligadas não apenas ao trabalho pedagógico, mas que fazem parte do cotidiano da nossa escola, como trabalhos ligados à redução e ao descarte de resíduos, compostagem, baixo uso de papel na escola, uso consciente de energia elétrica e água e ações como o “Dia do Lanche Sem Descartáveis”. Sendo este um tema que constitui a nossa vida e nosso cotidiano, acreditamos que seja também um tema que pertence à escola, aos projetos e à maneira como atuamos com as alunas e alunos. “Os princípios que a Santi valoriza, como o cuidado com a produção desnecessária de lixo, reutilização de materiais quando possível, cuidado com gastos de luz e água, troca de objetos, só para citar alguns, já aparecem no dia a dia no trabalho das professoras e, consequentemente, as crianças acabam por agir também com esse cuidado”, relata Cyndel. “O importante é fazer com que isso permaneça sempre em nossos hábitos cotidianos para que seja, assim, parte da cultura da escola e das próprias crianças. Esses cuidados têm de se manter no dia a dia para que se tornem naturais”, finaliza.

Quer saber mais sobre as nossas propostas de sustentabilidade? Acesse a aba “Santi Sustentável” no nosso site para informações detalhadas do trabalho desenvolvido pela nossa equipe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top