skip to Main Content

O extracurricular on-line da Santi

A pandemia do Coronavírus modificou completamente o nosso cotidiano, e exigiu que, em pouco tempo, tivéssemos que nos adaptar à uma nova realidade. Há mais de 2 meses, as aulas da Santi acontecem inteiramente por meio das plataformas digitais, com alunos, famílias e nossa equipe pedagógica se reinventando para que as aulas continuem da melhor maneira possível, e com as atividades do Santi Mais não poderia ser diferente! Nossa equipe do extracurricular também readequou seus projetos e criou novas formas de interação para continuar em contato com a turma e a proposta dos cursos. Estimular essas práticas durante o isolamento se mostra ainda mais importante para que as crianças e adolescentes que fazem parte da nossa comunidade possam continuar em contato com a escola, conectados à rotina e criando um momento de divertimento, distração e até mesmo de atividade física, para que continuem se desenvolvendo mais e mais a cada dia. “Foi muito importante continuar com as atividades, pois manter as crianças ativas e com uma rotina de atividades próximo do normal faz com que elas continuem aprendendo e se adaptando com as novas tendências de aprendizados realizados durante e pós pandemia”, conta André Luis, professor de Circo. Vamos conhecer mais sobre os alguns dos cursos que mantivemos  on-line?

 

Futsal

Por incrível que pareça, até mesmo as aulas de Futsal continuam acontecendo à distância. Pode parecer estranho, mas o professor William tem enviado vídeos atividades e realizando aulas ao vivo com as crianças para que possam se divertir e se exercitar sem sair de casa. “O mais importante são os vínculos com alunos, reforçando importância de fazer alguma atividade física nesse momento que tem causado muita ansiedade”, relata o professor. “A tecnologia ajuda muito para entender e sentir o que os alunos estão passando e vivendo nesse momento”. Utilizando materiais de fácil acesso, como cadeiras, cabos de vassoura, garrafas d’água, copos e, obviamente, a bola, o professor tem realizado trabalhos físicos e técnicos de maneira lúdica, sempre pensando no espaço físico que o aluno tem disponível. 

 

 

Artes

As aulas de Artes Visuais do Santi Mais tem acontecido através de encontros on-line ao vivo uma vez por semana, além de atividades postadas, que os alunos podem realizar fora do horário dos encontros. A professora Sandra Avellar traz, a cada aula, novas atividades e práticas diversas, pensadas para que os alunos possam ter um espaço artístico dentro de casa, trabalhando o desenho, a observação, o recorte, a memória e o estudo de figuras. “Acredito que os alunos que permanecem no curso de Artes, esperam ansiosos pela aula”, aponta Sandra. “Fazer um curso que é fruto de uma escolha e contempla os desejos e o prazer de realizar algo que gosta não tem preço, mesmo que não seja o formato ideal. Podemos aprender novos recursos e desenvolver ainda mais a criatividade”.

Música

Para as aulas on-line, a professora de música Giana Viscardi criou um conteúdo especial, inédito para esse momento de isolamento: um Safari de observação de bichos na África, apresentando duas novas canções toda semana, misturando a teoria e a prática musical. “Eu chamo nossas interações de ‘brincar de música’, convidando sempre a criança ao lúdico”, diz a professora. “Acredito que isso transporte a criança para um espaço de imaginação e criatividade necessário em um momento de isolamento físico”. A professora Giana intercala postagens com encontros ao vivo, incentivando a interação em tempo real e individual. “Observo que a cada semana todos fomos aos poucos entendendo e aprimorando nossas técnicas tanto ao lidar com as tecnologias quanto ao contato com as crianças”. Assim, as plataformas Classroom e Padlet, utilizada nas aulas on-line da Santi, foram usadas também para disponibilizar as canções, os vídeos e as aulas para que os alunos cantem, dancem, e pratiquem a música dentro de casa. 

Rede Vagalume

De acordo com a professora Gisela Sakamoto, os alunos continuam engajados, frequentando e participando ativamente dos trabalhos da Rede Vagalume, e muitos se sentem bem por poder contribuir. “Fizemos as adaptações tecnológicas e perdemos um pouco, pensando nas relações humanas. Entretanto, conseguimos usar o tema atual para conscientizar e fazer com que os alunos tomassem alguma atitude com relação ao problema, mesmo que virtualmente”. Além de se conectar com a sociedade e estudar temas relevantes para sobre o momento que vivemos, os alunos participantes realizaram uma pesquisa sobre plataformas de financiamento colaborativo, o chamado crowfunding, escreveram um projeto, fizeram orçamentos e estipularam metas para enviar proteção adequada para as comunidades localizadas na Amazônia Legal, ficando ainda mais engajados e conscientes a respeito das questões sociais, territoriais e políticas das comunidades durante a pandemia. “Tem sido muito gratificante ver os alunos trabalharem numa causa social”, retrata a professora. Isso causa uma ‘revolta’ boa e que motiva os adolescentes a quererem fazer diferença, é lindo de ver”.

Circo

Assim como a maioria dos cursos do Santi Mais, as aulas de circo on-line também começaram com o envio de vídeo e tarefas por meio das plataformas digitais, mas logo se tornaram encontros ao vivo. As crianças aceitaram rápido e se animaram bastante, participando cada vez mais das aulas, retornando as tarefas e praticando os exercícios recomendados pelo professor de circo André Luis, que, apesar das dificuldades iniciais para se adaptar aos meios mais tecnológicos, se diz muito contente com o resultado das aulas. “Quando falo com eles, percebo o quantos eles estão se adaptando com tudo isso, e fico muito feliz de poder contribuir um pouco nos encontros on-line. Ganho vida novamente!”

Teatro

O teatro é uma atividade que se faz em conjunto. Através do jogo coletivo, os participantes desenvolvem o foco, o olhar, a escuta e a sensibilidade, estimulando e sendo estimulados pelo outro e pelo espaço ao seu redor. Porém, com a pandemia e o isolamento social, como evitar que esse contato se torne mais frio e distante? Aproveitando o espaço das aulas on-line, a professora Tássia de Melo criou atividades para ampliar o repertório dos alunos, trabalhando contos e histórias,  propondo que elas mesmas criem desenhos, narrativas e dramatizações, fora do horário do encontro, e compartilhem em vídeos, fotos e áudios nos encontros seguintes, contando sobre a brincadeira. “Em todas as aulas conversamos sobre algo que eles queiram falar ou contar. Acho que depois de um período de adaptação uma nova forma de fazer teatro começou a apontar”, conta Tássia. “Cada criança tem sua história, sua vivência e será através delas que o processo criativo dará abertura à experimentação, reflexão, comunicação e exteriorização de sentimentos”. As aulas com jogos de criação de histórias teatrais, foram gravadas e se tornaram pequenos filmes com o trabalho feito pelas crianças, para que elas mesmas possam assistir aos vídeos, avaliando o resultado e aguçando a crítica para melhorar nas próprias atividades, além de aprenderem técnicas e habilidades para a criação de situações imaginativas. Hoje, os alunos já sugerem contos, temas e práticas para desenvolverem nas aulas. “Isso me deixou super feliz, partir da criança algo que a mova, é tudo que eu preciso. É um momento de aliviar a mente e corpo, mesmo de longe, e o teatro auxilia a solucionar situações inesperadas do dia a dia”.

Xadrez

Para as aulas de Xadrez, a professora Emile Casasco tem buscado a melhor maneira de utilizar as ferramentas disponíveis para continuar engajando os alunos na prática do xadrez. Usando vários vídeos explicativos para o conteúdo trabalhado e usando o site Chessity durante as aulas para exercícios, a professora encontrou um novo jeito de manter a atenção dos alunos, diversificando materiais e estimulando a prática de xadrez não só entre as crianças, mas também entre seus familiares, dando continuidade ao trabalho desenvolvido nas aulas presenciais.  “Acredito também que, manter as atividades que os alunos realizavam antes da quarentena os ajuda a lidar melhor com tudo isso. Se não é fácil para nós, adultos, para as crianças também não. E esta também é uma grande preocupação: facilitar a transição, ajudá-los a lidar com as mudanças da melhor maneira possível e possibilitar a continuidade do desenvolvimento de cada um deles” conta Emile. “Mudamos o ambiente, mas não esquecemos da nossa missão e compromisso. Seguiremos nos dedicando e buscando oferecer o melhor para os nossos alunos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top